EP 302: Cry Macho

[Clint Cantando de Galo]

Cry Macho (7:13), marca o retorno de Clint Eastwood ao personagem do cowboy. Aqui ele tem a missão de ir ao México trazer o filho de seu ex-patrão. O filme reflete, com a maturidade de hoje, sobre alguns personagens que ele interpretou ao longo da carreira.

E mais: No Momento Belas Artes à La Carte recomendamos um dos grandes clássicos imperdíveis de Wim Wenders. O Puxadinho da Varanda destaque para os filmes Filho-Mãe e The Beach Bum: Levando a Vida Numa Boa, a série Only Murders in the Building, e também alguns filmes de Guy Gilles. No Cantinho do Ouvinte, o Metavaranda dos Ouvintes e os comentários sobre o episódio anterior. Bom Podcast!

| Varandeiros |

Chico Fireman @filmesdochico
Cris Lumi @crislumi
Michel Simões @michelsimoes
Tiago Faria @superoito

| Cinema na Varanda nas redes sociais |

Facebook: facebook.com/cinemanavaranda
Twitter: @cinemanavaranda
Instagram: cinemanavaranda
e-mail: podcastcinemanavaranda@gmail.com
Anchor: anchor.fm/cinemanavaranda

*Gravado no domingo, 19 de setembro, via internet.

6 comentários sobre “EP 302: Cry Macho

  1. Oi gente

    Imagino que vcs viram já que começou a sair os episódios do reboot do cenas de casamento do Bergman na hbo. Eu só conheci o original pq ouvi o episodio da varanda sobre marriage story e acho que foi uma das recomendações que eu mais gostei de vcs. Virei fã absoluto do original. Então quando acabar pfvr quero um review sobre o que vcs acharam.

    E outra coisa, eu não sei se inventei essa categoria mas vcs já repararam o quanto de filme bom sobre divorcio existe? Kramer vs Kramer, A lua e a baleia, a separação, o próprio cenas de um casamento

    A varanda tem outras dicas de filmes sobre divorcio e matrimônios falidos? To tao fissurado que daqui a pouco vou casar só pra poder me divorciar

    Beijo adoro vcs

    Curtido por 1 pessoa

  2. Varandeiros, me senti abraçados por vocês hoje. Eu tenho uma roda de amigos cinéfilos que sempre falamos sobre os lançamentos amistosamente, e eu fui o único que não gostei de Cry Macho. Me senti o cara mais chato de todos, fiquei pensando que havia sido muito ranzinza, mas é isso. Concordo com tudo que vocês disseram, ainda acrescentaria mais algumas ressalvas, e no final (nem acredito que vou dizer isso) achei que foram muito generosos com a nota pro filme. Eu daria menos.
    Essa foi a semana da minha saga pessoal em que maratonei alguns filmes do Manoel de Oliveira, e minha gente, que maravilha. Nem sei dizer qual o que mais gostei, é um filme melhor que o outro. O último que vi foi Um Filme Falado, e achei uma obra-prima, talvez tenha sido o meu favorito ao lado de Vale Abraão. Aquele final… uau!
    Abraços.

    Curtir

  3. Precisamos falar sobre o Emmy. Os ingleses ganhando quase tudo e o brancos também. Ted Lasso rapou grande parte da premiação da comédia, ainda bem que Hacks deu uma segurada neles e The Crown,sem nenhuma série boa competindo, limpou os prêmios na categoria de drama. Engraçado que o próprio Bafta nunca premiou The Crown, mas os americanos amam idolatrar a Rainha, engraçado né. E falando em Bafta, esse sim premiou com força I May Destroy You (felizmente), enquanto no Emmy fez aquele papel ridículo em dar 11 emmys, incluindo o principal, para The Queen’s Gambit. O pix da Netflix está caindo seja no Emmy, seja no festival de Veneza, só está faltando no oscar.
    Sobre o filme do Clint, francamente este homem está precisando se aposentar, vai criar suas galinhas no Texas e deixa os cinemas e o streaming em paz. Ninguém aguenta mais filme de homem branco cis hétero de meia idade passando por crise existencial no deserto americano. AFFF. Isso é old do old. Os últimos filmes do Clint foram todos horríveis, fez sucesso na década de 80, já passou sua época. Sem contar que esse diretor tem uma visão de mundo super ultrapassada, preconceituosa com as minorias, extremamente branca, todo filme dele é sempre sobre algo que ninguém mais quer saber e que o cinema já fez umas mil vezes nos últimos 100 anos. Até o oscar já largou a mão. Não consigo compreender essa super valorização ao cinema dele, e olha que já assisti muitos filme desse cara aí e nunca achei nada de mais. Deve ser algo da minha geração.

    Abraços.

    Curtir

  4. Varandeiros, muito bom o episódio (como sempre). Com relação ao diretor Clint Eastwood, qual o lugar que ele ocupa entre os diretores americanos, ele pode ser colocado ao lado de nomes como Coppola, Scorcese, John Huston e John Ford?
    Estou muito curioso com a vitória de Belfast em Toronto, vi o trailer e me pareceu um versão “Ted Lasso” de Roma.

    Curtir

Deixe uma resposta para Caio Morais Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s