EP 204: O Exterminador do Futuro – Destino Sombrio

[De Volta para o Exterminador do Futuro]

Depois da maratona de filmes da Mostra SP, os varandeiros sacudiram a poeira, e com a visita de Rafael Argemon, trazem um episódio bem diversificado. Ele começa com um debate sobre a polêmica causada pela redação do Enem (vejam só) e o tema Democratização das Salas de Cinema. Passamos pelo Boletim do Oscar (18:46) com os principais favoritos na categoria Ator Coadjuvante.

A saga Exterminador do Futuro (28:57) está de volta aos cinema, com direito a Sarah Connor e o velho de guerra Terminator. Debatemos Exterminador do Futuro – Destino Sombrio, e relembramos os filmes anteriores, com foco nos dois primeiros.

E o Puxadinho da Varanda (55:19) caprichado tem comentários (alguns curtos, outros longos)sobre: Segredos Oficiais, Downton Abbey, El Camino, Rainha de Copas, Doutor Sono, O Rei, Papicha e A Odisseia dos Tontos. No Puxadinho da Varanda, os recados dos ouvintes sobre o episódio anterior.

| Varandeiros |

Chico Fireman @filmesdochico

Cris Lumi @crislumi
Michel Simões @michelsimoes
Tiago Faria @superoito

| Cinema na Varanda nas redes sociais |

Facebook: facebook.com/cinemanavaranda
Twitter: @cinemanavaranda
Instagram: cinemanavaranda
e-mail: podcastcinemanavaranda@gmail.com

Gravado na segunda, 4 de novembro, na varanda do Michel.

20 comentários sobre “EP 204: O Exterminador do Futuro – Destino Sombrio

  1. Amigos Varandeiros,

    Hoje pude ouvir tranquilo, afinal, na democratização das salas e filmes, sempre há espaço para
    Blockbuster; mesmo os ruins.

    Minha consideração sobre Exterminador 6: esquecível, preguiçoso e, para piorar, tenta ser lavrador em todos os sentidos e sem a menor sutileza (o protagonismo feminino sempre foi bem pontuado na série). Infelizmente o filme é fraco. Entre o 3 e este, fico com o 3. Entre o 4 e esse, fico com o 4 que, ainda que seja fraco, tenta avançar na mitologia do exterminador e mostrar a Guerra (algo verdadeiramente novo).

    Curtir

  2. Fiquei bem preocupado quando o Michel adiantou que não curtiu muito “História de um casamento”. Eu também assisti ao filme na Mostra e é um dos meus favoritos do ano – das duas horas de filme, eu chorei três (tudo bem que dei de cara com meu ex na porta do cinema e talvez isso tenha colaborado. Não é um encontro muito adequado antes de um FILME SOBRE DIVÓRCIO). Michel, fica aí o meu apelo pra você pegar leve com o filme… ou vai ser mais um episódio que eu vou ter que levar pra terapia.

    Curtir

  3. só gostaria de dizer que estou muito mais tranquila em relação à redação depois desse podcast. praticamente tudo que vcs falaram eu comentei ao longo da minha tese, até Bacurau, não do filme em si, mas da sessão que realizaram na cidade que foi usada como cenário (só fiquei sabendo dessa notícia porque sou uma varandeira amém).
    de qualquer forma, muito obrigada por me ajudarem a elaborar uma proposta de intervenção decente, no vestibular da Fuvest já tô planejando ir com a camisa do cinema na varanda, como aquele pessoal dos cursinhos particulares, pra botar medo nos concorrentes.
    adoro o podcast, só queria mesmo que vocês fossem menos muquiranos com as notas, me sinto pegando minha prova de geometria analítica toda vez que o Michel e o Tiago avaliam algum filme.

    Curtir

  4. Como assim a varanda não dá moral para amostra Cris ? Absurdo. Quero dizer que apesar de não morar em SP, tá rolando o Janela internacional aqui em Recife e por causa das indicações de vocês eu vi: Sinônimos, koko di-koko da, parasita e o farol aqui no festival e gostei bastante, ou seja, mesmo longe de SP as dicas de vocês dão muita moral para filmes.

    P.S: Preciso compartilhar com vocês minha saga para ir no janela internacional. Primeiro que fui assaltada e tava atrasada desde o episódio do Joker ( fiquei escutando os podcasts só pelo computador e nem sempre eu tinha tempo), então com celular sem chip passei pelo São Luiz nesse último dia 06 (primeiro dia do janela internacional) e decidi ficar. Eu não tinha como me comunicar com minha mãe (porque estava sem chip) e pedi ajuda de duas pessoas desconhecidas que rotearam internet para mim, eu avisei a minha mãe que estava lá, mas não disse a hr que eu voltava. Resumindo a saga eu basicamente saí do cinema era quase 0h, sem uber no celular e voltei para casa porque fiz amizades no intervalos dos filmes que iam para um bairro perto que o meu (cinema unindo pessoas). Para completar mainha muito brava comigo ficou resmungando o outro dia inteiro que não acreditava que eu havia “sumido” para ver filmes.

    Curtir

  5. Eu passei aqui para agradecer vocês o debate sobre a redação do Enem, porque eu, q nunca fiz Enem e nem tenho amigos vestibulandos, fiquei pensando sozinha sobre o tema proposto e ansiando pra conversar com alguém. Vocês me proporcionaram isso!
    Mas, na verdade, depois de ler Amanda e Yaucha, acima, eu me emocionei e quase nem quis mais escrever. Que lindezas!

    Curtir

  6. Eu passei aqui para agradecer vocês pelo debate sobre a redação, porque eu, q nunca fiz Enem e nem tenho amigos vestibulandos, fiquei pensando sozinha sobre o tema proposto e ansiando conversar com alguém. Alfinetada no governo ou chance de dizer da expansão dos filmes evangélicos, me questionei. Mas vocês me proporcionaram o debate! Obrigada.
    Mas, na verdade, depois de ler Amanda e Yaucha, acima, eu me emocionei e quase nem quis mais escrever. Que lindezas!

    Curtir

  7. Entre assistir Exterminador 6 e ouvir o cinemanavaranda, optei pelo podcast e não me arrependi — além de ter economizado o valor da pipoca, do estacionamento E do próprio ingresso 😉
    Que programa GOSTOSO! hehe

    Curtir

  8. É caros varandeiros…

    Já vi Parasita três vezes desde que estreiou e terça vou ver a quarta vez. Não sabia da sinopse do filme, nada. Não vi trailer. Evitei cartazes detalhados. Evitei tudo. Foi uma experiência única. É um filme maravilhoso. A maestria e a esperteza com que o Bong Jon-Ho filma é algo único. Tem tanta coisa ali que um simples comentário não basta. Eu até vou ter que escrever algo no meu medium – que o último texto que eu escrevi foi justamente sobre aquela bizarrice chamada A Lavanderia, olha só!, que extremos. Ao sair da sessão, impactado com o que eu tinha visto, coloquei meu fone de ouvido e fui escutando a edição de vocês sobre Parasita e na minha metavaranda eu to com o Tiago. É 10 total. Eu quero que aquele elenco gsnhe tudo. Só aquele menininho dá de 10 a 0 em todo elenco masculino de Vice e A Lavanderia juntos. Que filme! Que filme! Se nâo ganhar, no mínimo, 10 Oscars aqui eu já anuncio: é golpe!

    Curtir

  9. Aliás, levei meus pais para assistirem comigo. Eu tinha um receio enorme de mostrar o filme a eles porque não é o tipo de filme que eles estão acostumados a ver. Tive a maior surpresa ao vê-los gostar do filme muito, se divertiram demais – aliás, em cenas que eu não sei se era para eles se divertirem, mas tudo bem, cada um com seus transtornos sociopatas, sem julgamentos. Eles gostaram muito. To infernizando todo mundo pra ver o filme. To batendo na porta de cada um no prédio e perguntando se eles não têm uns minutos do tempo deles pra ouvir a palavra de Bong Joon-ho (escrevi erradíssimo esse ilustríssimo nome no comentário acima, é a emoção, desculpem).

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s