EP 145: Buscando… | O Conto | Atores no Oscar 2019

[Alguém me Desconfigurou]

Um filme que se passa inteiramente numa tela de computador: o suspense Buscando… (22:02), dirigido pelo estreante Aneesh Chaganty, conta uma história não tão original por meio de uma narrativa ‘diferentona’. Valeu a ousadia?

O Conto (54:04), The Tale, foi uma das sensações em Sundance, com Laura Dern interpretando a autobiográfica história da diretora Jennifer Fox, que sofreu com pedofilia em sua adolescência. Na trama, as memórias da realizadora são revistas de uma maneira nada convencional.

No Boletim do Oscar (12:45) chega a vez dos atores. Quem são os principais nomes surgindo na corrida para a nova temporada? E, falando em prêmios, nossa correspondente especial Cecília Barroso (do site Cenas de Cinema) traz as grandes destaques e os premiados do Festival de Brasília (1:22:40).

Cantinho do Ouvinte e Recomendações (1:14:51) destaque para American Vandal e o recente documentário Roe x Wade: Direitos das Mulheres nos EUA. Bom podcast!

| Metavaranda |

Buscando…Searching | Aneesh Chaganty | 65
O ContoThe Tale | Jennifer Fox | 63

| Varandeiros |

Chico Fireman @filmesdochico
Cris Lumi @crislumi
Michel Simões @michelsimoes
Tiago Faria @superoito

| Cinema na Varanda nas redes sociais |

Facebook: facebook.com/cinemanavaranda
Twitter: @cinemanavaranda
Instagram: cinemanavaranda
e-mail: podcastcinemanavaranda@gmail.com

Gravado na segunda, 24 de setembro, na varanda do Michel.

Anúncios

2 comentários sobre “EP 145: Buscando… | O Conto | Atores no Oscar 2019

  1. Demorei bastante para ser fisgado por “O Conto”. Aquelas entrevistas imaginárias com figuras do passado da protagonista foram um recurso ao mesmo tempo confuso e simplório. Quase desisti do filme no meio por causa disso. O que me segurou foi o peso da história e as ótimas atuações. Concordo com vocês quando dizem que o filme é limitado em termos de técnica e linguagem. Mas ele é provocante nos temas e certeiro nas abordagens, sem glamourizar a pedofilia e mostrando que quase sempre a ameaça chega sem fazer alarde, sem avisar. Ah, e adorei o link que vocês fizeram entre “O Conto” e “Cidade dos Sonhos”!

    Por outro lado, fiquei com uma dúvida que transformo em pergunta para vocês. Se o filme não fosse autobiográfico, será que ele seria tão marcante? Se contassem pra gente que a diretora filmou uma história fictícia ou vivida por um terceiro, a nota que daríamos para o filme seria a mesma? Na minha opinião, as respostas são “não” e “não”, hehehehe.

    Abraços a todos!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s