EP 138: Mamma Mia 2 | Musicais dos Anos 2000

[Ó Nois Aqui Traveiz]

O ABBA está de volta aos cinemas e invade a Varanda com o novo Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo (10:37). Comparações entre os dois filmes, grandes momentos e outros nem tanto: um raio-x sobre o maior lançamento da semana.

O longa é mote para refletirmos um pouco sobre os Musicais dos Anos 2000 (1:02:42). Ainda há espaço para o gênero? Houve um ressurgimento ou eles nunca saíram de moda? Do bate-papo surge uma pequena lista de destaques do século.

Cantinho do Ouvinte, Recomendações e aberta nova votação para a Cinemateca da Varanda. Bom podcast!

| Metavaranda |

Mamma Mia! Lá Vamos Nós de Novo| Mamma Mia! Here We Go Again | Ol Parker | 48

| Varandeiros |

Chico Fireman @filmesdochico
Cris Lumi @crislumi
Michel Simões @michelsimoes
Tiago Faria @superoito

| Cinema na Varanda nas redes sociais |

Facebook: facebook.com/cinemanavaranda
Twitter: @cinemanavaranda
Instagram: cinemanavaranda
e-mail: podcastcinemanavaranda@gmail.com

Gravado na segunda, 6 de agosto, na varanda do Michel.

Anúncios

7 comentários sobre “EP 138: Mamma Mia 2 | Musicais dos Anos 2000

  1. Olá varandeiros e varandeira!
    Adoro ouvir o podcast de vocês porque apesar de não concordar muitas vezes com as opiniões do quarteto, eu sempre consigo extrair mais dos filmes com o ponto de vista de vocês. Me descobri fã do ABBA no primeiro Mamma Mia!, lá em 2008. Fui assistí-lo cheio de preconceitos e saí do cinema feliz e contente. Acho que é uma obra propositalmente leve e descolada totalmente da linguagem cinematográfica. Quase uma colagem publicitária do quarteto sueco e da potência multitarefas da estrela Meryl Streep.
    Agora no segundo, eu fui ao cinema pronto para me alegrar de novo e praticamente chorei o filme todo. Não consigo dizer o porquê disso e isso é bem estranho. Talvez eu goste mais do primeiro (ou da Meryl) do que imaginava… não sei. Entendo o que o Chico disse sobre as fotografias serem chapadas e também me incomodei bastante com o excesso de fundo azul empregado nesta continuação, Porém, mesmo assim, achei um longa inspirador e bonito.
    Parabéns pelo trabalho e continuem sempre únicos! (apesar de achar que o Michel deveria levar sempre um algodão doce para o cinema antes de qualquer sessão… pra ver se adoça esse amargor da alma dele! hahaha!)
    Um abração!

    Curtir

  2. Sobre musicais recentes, lembro da trilogia de musicais de ação do ano passado: Atômica, Baby Driver e Guardiões da Galáxia 2. Apesar de não terem números musicais (Baby Driver até tem), as músicas são os momentos mais memoráveis e são o elemento que marcam as cenas desses filmes.

    Curtir

  3. Olá Varandeiros! Começo meu comentário jurando que tentei gostar do filme “Mamma Mia 2”. A pessoa mais alegre daquele cinema quiçá era eu, e olha que eu já sou alegre por natureza. Quando soube que “Waterloo” teria uma cena exclusiva, minha emoção não cabia dentro de mim. Duas horas depois… Terminou o filme e eu só conseguia entender que a morte da personagem Donna foi um pedido da própria Meryl Streep após ler o roteiro. O que fazer agora? Não teremos a diva Meryl na maior parte das cenas, que só aceitou aparecer em algumas cenas por questões contratuais. Alguém desesperado grita: chama a Cher para tapar o buraco, é diva também e todo mundo ama. Resolvido o problema. Só que não! Que filme horroroso. A cena de “Waterloo” foi uma pedrada na minha cabeça. Era tudo marcado demais, mecânico demais, era uma aula de como não fazer musical. E como se não bastasse isso tudo, me surpreendo com o Tiago dando esse notasso para as peripécias de Donna Aventureira. Tiago, você com certeza deve ter sido picado pelo mosquito transmissor do ABBA Vírus que te causou uma febre de glitter feliz e perdurou durante toda a semana e você viu a vida no modo “Dancing Queen”. E isso deve ter sido contagioso e passou para o Michel também. Porque até a nota do Michel, para os padrões Michel, foi alta. Acho que só o Chico e a Cris é que ficaram imunes a esse vírus. Uma pena eu não ter sido picado por esse mosquito também. Com certeza uma hora dessas eu estaria nos corredores da faculdade dançando e cantando “When I Kissed The Teacher”. Um abração!

    PS: Obrigado pela indicação do “Arrival”. Não achei essa obra-prima toda, mas adorei ouvi-lo!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s