Episódio 80: Todas as Formas de Paranoia

Intrigas políticas, ameaças tecnológicas, o mal-estar das relações humanas… De quais maneiras o cinema está tratando, ou já tratou, a nossa paranoia de cada dia (9:47)? No episódio da semana, Chico Fireman, Cris Lumi, Michel Simões e Tiago Faria batem um papo sobre um tema que sempre esteve presente na história do cinema… e que vem se mostrando bastante atual.

Já que o assunto é paranoia, nossas opiniões sobre duas estreias da semana que se encaixam nesse filão. De carreira indie, e figurinha carimbada no Festival de Sundance, o diretor James Ponsoldt tem seu primeiro trabalho de grande orçamento em O Círculo (19:38), dirigindo Emma Watson e Tom Hanks numa espécie de Black Mirror à Hollywood.

Já o jovem cineasta Trey Edward Shults, que ganhou destaque com o drama Krisha, agora lança Ao Cair da Noite (49:09), um terror psicológico sobre a luta pela sobrevivência.

O Varandeiro do Zodíaco, nosso canceriano Aílton Monteiro, explica como o cinema influencia os cancerianos. E mais: Cantinho do Ouvinte, dois filmes brasileiros nas recomendações e rápidas impressões sobre Twin Peaks e o universo de David Lynch. Bom podcast!

METAVARANDA (média das notas dos filmes comentados na edição)

O Círculo | The Circle | James Ponsoldt | 30
Ao Cair da Noite | It Comes at Night | Trey Edward Shults | 55

Gravado na segunda-feira, 26 de junho, na varanda do Michel.

Anúncios

10 comentários sobre “Episódio 80: Todas as Formas de Paranoia

  1. Fala Varandeiros, tempo que não comento aqui, tenho vontade de comentar muita coisa mas não sou nem um pouco cinéfilo e fico preocupado em escrever besteiras e os ouvintes começarem a rir ou vcs tirarem sarro ao vivo. Engraçado ouvindo o episódio de hoje, tive sensação que todos na rua me olhavam. Há, respondendo a pergunta se os Ouvintes são Paranoicos, eu definitivamente “Não sou!”
    Falando em filmes de paranoia, Show de Truman, apesar de ser um filme light, acredito que muita gente tenha ficado encucado. Vcs comentaram de Inimigo do Estado, acho este muito bem estruturado filme, se naquela época já parecíamos vigiados imagina hoje. Não acho q é um filme paranoico, mas deixa os espectadores paranoicos. Tem um terror que assisti uma vez e nunca mais “Arrasta-me para o Inferno”.
    Enfim, a Paranoica se mistura a vários estilos de filmes, inclusive Disney. Tem uns doidos que acham cada coisa nos filmes e inventam Mensagens Subliminar.
    Abs
    Régis Inácio

    Curtir

    1. Oi, Régis, tudo bem?

      Obrigado pelo comentário. O tema é muito amplo e, por isso, muita coisa ficou fora do programa. Quando terminamos de gravar, por exemplo, lembrei que deveríamos ter ao menos pincelado a maneira como o cinema brasileiro trata a paranoia – os filmes do Kleber Mendonça Filho têm muito disso, e por esse viés atual do mal-estar das relações humanas e da relação entre cidadão/estado. As mensagens subliminares também dão muito assunto para uma boa conversa. Quem sabe em outro episódio?

      Abraço!

      Curtir

  2. Bom dia, varandeiros!

    Esperei a semana toda pra ouvir vocês descascando “O Círculo”.
    Achei esse filme péssimo e o melhor momento pra mim foi o humor involuntário da cena em que a personagem da Emma Watson, que trabalha em uma empresa de tecnologia, fotografa a tela do computador ao invés de tirar um print. Eu já demitia a garota ali.
    Aliás já fui xingado até em espanhol no twitter por ter falado mal da Emma Watson nesse filme, nunca mais cito o nome da Hermione.

    Assisti “Ao Cair da Noite” também e acho que vai ser a bomba popular da semana. No final do filme o pessoal não ficou muito feliz na sala e vi gente dizendo que era melhor ter assistido “Walking Dead” (risos). Eu gostei do filme, entregou o que eu já esperava e estou cada vez mais atento ao Joel Edgerton, que vem se mostrando um bom ator.

    Já ouvi uns 20 programas antigos de vocês e gostaria muito de saber por qual motivo paramos de chamar o Michel de Marvete. E Antes que pensem que eu sou completamente desocupado, trabalho enquanto ouço podcasts, ajuda a me concentrar e vocês foram o único podcast de cinema que eu não tive vontade de matar os participantes depois de 10 minutos.

    Agora finalizando esse comentário imenso, Paul Thomas Anderson, queridinho meu e do Michel, também é um diretor canceriano e fez aniversário ontem, enquanto vocês gravavam o programa.

    Beijo a todos!

    Curtir

    1. “Vocês foram o único podcast de cinema que eu não tive vontade de matar os participantes depois de 10 minutos”

      Melhor elogio. Obrigado.

      A piada do Michel-Marvete caiu em desuso, mas podemos ressuscitá-la sem problemas. Não sei se você percebeu, mas, no começo do podcast, o Michel era um cara mais inflexível. Hoje ele pira com o surrealismo de ‘Twin Peaks’ (o que muito me espanta, aliás).

      Vamos torcer para que os espanhóis não descubram o podcast, então. Emma Watson cai da varanda sempre.

      Abraço!

      Curtir

  3. essa porra de varandeiro do zodíaco eh mt chato kkkkk, sem ofensas, mas sei q nem os varandeiros acreditam no q o cara fala kkkkkk,, cast foi irado! parabens,, tb nao acho krisha isso tudo.. abraços!

    Curtir

  4. Já faz uns 3 ou 4 episódios que tenho notado o áudio do Chico Fireman muito baixo. Eu ouço o podcast enquanto faço caminhada/corrida, e fica inviável ficar voltando para aumentar o volume e ouvir o que ele falou. Estou perdendo o comentários que ele faz, que gosto muito. Favor pedir para ele falar mais alto, ou mais perto do microfone ou verificar o volume do microfone.

    Quanto o podcast desta semana

    Curtir

  5. É paranoia minha ou vocês começaram o podcast com “Paranoid Android” mesmo? E justamente alguns dias depois do lançamento do “OKNOTOK”? Homenagem aos 20 anos do “OK Computer”? Acho que é paranoia minha! Vocês são o máximo. Prometo fazer um comentário super breve, os últimos tem sido um textão mesmo.

    “O Círculo”, não gostei muito. Nem adianta pontuar muita coisa, pois, tudo que vocês falaram pra mim foi definitivo. Gostei mesmo foi da ideia e do tema do filme. Isso na mão de uma direção certa?! Já “Ao Cair da Noite” achei muito bom, quase fiquei como a Samara no fundo do poço com aquela parte “Happy Families” do filme. A primeira coisa que pensei foi: agora o filme vai ladeira abaixo, meu DEUS! Mas ainda bem que deu aquela ressuscitada.

    E que tema amplo esses que vocês escolheram. Citaria “Cachè”, nada mais paranoico do que receber vídeos e mensagens misteriosas de um desconhecido. “O Espião Que Sabia Demais” com sua atmosfera de espionagem e contraespionagem que nos leva para um jogo psicológico tenso. E o meu preferido “Lunar”, pois acho sensacional como o sentimento de paranoia vai se construindo dentro do personagem no decorrer do filme. Uma belíssima paranoia espacial. Não sei se esses filmes correspondem diretamente com o sentido da palavra paranoia, mas foram os que eu pensei de imediato. Abraços!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s