Episódio 78: Deixe a Luz Acesa

Os filmes mais assustadores, aqueles que tiraram o sono de Chico Fireman, Cris Lumi, Michel Simões e Tiago Faria, ganham espaço na Varanda esta semana. Excepcionalmente neste episódio, substituímos o Cantinho do Ouvinte por áudios especiais de Ailton Monteiro, Ana Clara Matta, Henrique Miura e Rafael Argemon. Eles comentando suas experiências com filmes aterrorizantes. E você, tem um filme assustador? Conte para a gente no nosso site, Twitter ou Facebook, que vamos trazer as opiniões no próximo Cantinho do Ouvinte.

Aproveitamos o tema sinistro para destacar dois títulos de terror da safra mais recente. De um lado a boa surpresa A Autópsia (32:18). Do outro, o nacional O Rastro (39:38), que transforma um hospital desativado no Rio de Janeiro em palco para uma história perturbadora. Nas recomendações, um artigo de imprensa sobre séries para TV, o drama adolescente Antes que Eu Vá e outros dois filmes que chegaram agora às plataformas de streaming. Bom podcast!

METAVARANDA (média das notas dos filmes comentados na edição)

A Autópsia | The Autopsy of Jane Doe | André Ovredal | 65
O Rastro | JC Feyer | 45

Gravado na segunda, 5 de junho, na varanda do Michel.

Anúncios

25 comentários sobre “Episódio 78: Deixe a Luz Acesa

  1. Que honra ser mencionada nesse episódio do gênero que mais gosto! Foi quase um presente de aniversário (meu aniversario é dia 20, no próximo episódio da varanda rs).
    Eu vou na linha do Chico, filmes assustadores pra mim são filmes de espírito. Gosto dos filmes com espíritos mais “reais”, se tiver algo digitalizado não bem produzido já tenho vontade de parar de ver. Por isso gosto demais de Sobrenatural 1, 2 e 3(espíritos “felizes” em situação cotidiana me aterrorizam demais) e invocação do mal q e 2.
    Ressalto dois filmes tailandeses: Espíritos – a morte está ao seu lado e Espíritos 2. Eu vi ambos no cinema e sem duvida, ficaram como referência no gênero pra mim.
    Existe um remake americano de espiritos- a morte esta do seu lado, que se chama: imagens do além, que diga-se de passagem é péssimo, nada tem de próximo com o original.
    Filmes de tortura psicológica também é algo que me perturba, destaco filmes como: funny games, os outros (pode ser considerado de terror), Hush (netflix), e mais recente a autopsia.
    Acho que mesmo pontuando filmes recentes, estamos carentes de bons filmes de terror, não se fazem mais filmes de terror como antes. Considero uma obra prima : o Exorcista. Mesmo sendo toscos alguns efeitos do filme, acho sensacional tudo o q foi feito no filme para aquela época.
    Beijos

    Curtir

  2. Ah esqueci de comentar que junto com o exorcista considero o Cemitério Maldito 1, como um filme referência para amantes do gênero!
    É isso! Rs
    Bjos

    Curtir

    1. Esse ‘Espíritos’ é o dos fantasmas que aparecem nas fotografias? Não me assustou nadinha.

      Obrigado pela dica e pelo comentário, que ficou bem legal. Ah, e Feliz Aniversário antecipado. Abraço!

      Curtir

  3. Boa lembrança do Tiago falar dobre ‘O Dia Seguinte’. Quem foi criança nos anos 80 (meu caso), o medo da bomba atômica tava muito presente no dia a dia. Lembro que fizeram um Globo Repórter sobre esse tema e passaram várias cenas do filme. No dia seguinte, na escola, todo mundo só falava disso. Parece estranho, mas era um medo palpável. Você já viu ‘Catástrofe Nuclear’ (Threads)? É um telefilme inglês quase documental sobre esse tema. É uma versão britânica d’O Dia Seguinte. Muito bom.

    Curtir

  4. Boa semana Varandeiros!

    Comentando excepcionalmente direto de Porto Alegre 😁

    Alguns apontamentos sobre os filmes de terror:

    1) Eu tenho medo do terror real. Aquele que penso que pode acontecer na vida real como casos de sequestro.

    Isto, obviamente, está ligado ao fato de eu não acreditar em fantasma.

    Ainda assim, há uma cena clássica e genial no Sexto Sentido, quando a criança fala ao psiquiatra que os fantasmas estão por perto quando sentimos o frio na espinha.

    2) Senti muita falta de Wolf Creek entre os citados. Este filme é, para mim, um dos melhores filmes de tortura concebidos depois dos anos 2000.

    Abraços galera!

    Curtir

    1. Nossa, eu amo Wolf Creek. Ele veio numa onda GIGANTESCA de filmes de perseguição em estrada, o que deixava ele como mais do mesmo na época, mas eu já sentia nele uma ideia mais crua, sem filtros. Só não acho tão “assustador” assim, gosto mais como filme mesmo.

      Curtido por 1 pessoa

      1. Meu pneu já furou na estrada. Um camarada parou para ajudar-me. Pensa na desconfiança. Gosto muito de filme de terror/horror. Só estão atrás das ficções científicas, ainda que fletem muito um com o outro.

        Curtir

  5. Sobre o meu áudio: comi 10 anos no ano de Você é o próximo, é 2011. E minha pronuncia de arbitrário saiu misturada como trava língua. =D

    E esse filme de cotidiano de lavar a louça é assustador. Ser no escuro é só cereja no bolo, lavar a louça já é suficiente de assustar.

    Curtir

  6. Primeiro filme que veio à minha cabeça foi o Pulse, do Kiyoshi Kurosawa, mas não por ter me assustado, mas especialmente por ter atingido algo mais profundo: me perturbou. Não fiquei sem dormir, com medo de andar no escuro ou qualquer coisa do tipo (não tenho isso com filme algum heheh), mas fiquei desolado mesmo, um sentimento que era uma mistura de tristeza profunda e uma admiração pelo terror da obra em si. Aliás, boa lembrança do Ailton: poucos filmes me deixaram tão tenso quanto os primeiros 20 ou 30 minutos de Estrada Perdida. Outro filme, dessa vez não de terror, mas que mesmo assim me perturbou: Um Filme Falado, do Manoel de Oliveira. Difícil pensar em qualquer outra coisa com aquele final.

    Curtir

  7. O filme mais assustador da história é nacional. Mais do que terror, ele me causa reações que nenhum outro conseguiu causar. Ele me revira o estômago, bagunça meu psicológico, mexe com meus instintos mais primitivos, me dá insônia. Já tentei assistí-lo várias vezes, mas nunca consegui terminá-lo.

    Por acaso eu consegui achá-lo caso alguém seja corajoso (e meio maluco) pra arriscar. É por sua conta e risco.

    Curtir

  8. Parece que vocês condensaram todos os meus medos em um único episódio. Porque eu tenho medo de espírito, de fim de mundo e, também, de ficar louco. Após este episódio arrepiante, vocês me fizeram resgatar uma memória de quando eu assisti ‘Poltergeist’. Nessa época dormia com meu irmão dois anos mais velho que eu. Resultado, fim do filme e eu queria dormir com a luz acesa e meu irmão com a luz apagada. Nem precisa dizer que venceu a batalha. Porém, me lembro que na mesma noite me deu uma vontade louca de ir ao banheiro. Mas, para ir ao banheiro, eu precisava atravessar a sala, e toda a casa se encontrava na mais absoluta escuridão. Eu, 11 anos, tive medo de atravessar a sala com medo de que algo sobrenatural viesse me pegar ou me puxar pela televisão. Ficava imaginando diversas coisas horríveis se eu passasse em frente a TV. E a vontade de ir ao banheiro só aumentava. Não teve jeito, tive que apelar e atormentar o meu irmão para ligar as luzes e ficar me olhando até eu ir ao banheiro. Ufa, essa passou por pouco. Até hoje tenho medo de coisas sobrenaturais e de filmes com essa temática. Já medo de fim do mundo, que achei que tivesse superado junto com aquelas reportagens do Fantástico, me veio à tona outra vez com ‘Melancolia’. Quando me deparo com a cena em que Kiefer Sutherland havia tomado as pílulas para se matar, eu senti um desespero, uma fobia, um medo sem fim no cinema. E aquela cena final do astro se chocando com o planeta Terra me deu ânsias de vômitos, de imaginar o fim de tudo, foi uma sensação horrível. E por último, o medo da loucura que até então eu não fazia ideia de que tinha. Estava eu assistindo ‘O Silêncio de Lorna’, e quando me deparo com aquela moça enlouquecendo, perdendo a razão de tudo, perdendo o sentido das coisas, fiquei tão estranho comigo mesmo que a única coisa que eu fazia era rezar e pedir para não enlouquecer daquele jeito. O problema é que esse medo de ficar louco me acompanhou durante dias, e um sentimento de agonia e angústia iam tomando conta de mim. Não sei como passou, mas graças a DEUS esse sentimento se esvaiu de mim. Agora, mudando de assunto, fiquei sabendo recentemente que Ang Lee dirigiu um novo filme que por mim passou completamente desapercebido: ‘A Longa Caminhada de Billy Lynn’. Vocês já assistiram? Indicam o filme? Tem previsão de estreia no cinema? Abraços pra toda a galera da varanda.

    Curtir

  9. Oi Meus queridos! tudo bom???
    eu ouvi os dois últimos episódios hoje, e sabe que vcs quase me convenceram a assistir Mulher Maravilhsa, quase, bem quase, eu não vou assistir mesmo assim, rs. Quem sabe um dia.
    Esse ultimo episodio dos filmes de terror foi incrível, adorei! Filme de terror funciona muito comigo! Acho que é o unico genero que me convence 100%, que eu esqueço tudo, não analiso nada, e me deixo levar por tudo, tenho medo, grito, fico sem dormir…. enfim. Filme de espirito são os que mais me pegam, até pq eu sou espirita, e acredito muito em muita coisa, inclusive eu decidi que não vou ver mais filme de espirito, pq eu realmente fico sem dormir, o ultimo foi Atividade Paranormal 2, eu devo ter ficado mais de 1 mês sem dormir (juro que não é exagero), então decidi não assistir mais, apesar de ter sempre muita vontade… me seguro. Inclusive aquele curta Lights out, que o Chico indicou, assisti, e sim, fiquei sem dormir rs …. o outro género que me deixa apavorada é esse que vcs mencionaram, de uma casa e assassinos cruéis, mas desses eu tenho medo na hora do filme, depois eu até durmo. Não conhecia o Você é o próximo, vou procurar. Um filme que me tirou muito o sono, pq eu vi quando era criança foi o Seven, acho que foi a primeira vez que eu fiquei pensando em maldade e serial killer e etc, troquei o dia pela noite e muito impressionada. Agora Zumbis são meus preferidos sempre, não tenho medo, mas adoro… ❤ Valeu queridos! Obrigada pela conversa.. e ah! Tiago estava especialmente engraçado nesse episódio.

    PS. Autopsia é de espirito, ou posso assistir?
    Beijos

    Curtir

  10. Ah, e agora, fazendo a assessora de imprensa, já que vcs falaram de O Rastro – tem uma diretora chamada Gabriela Amaral Almeida, que é incrível, ela tem 6 curtas incríveis, e ja filmou dois longas, que devem ser lançados em breve. O primeiro chama O Animal Cordial, é um gore, slasher, maravilhoso, e o segundo A Sombra do Pai – quem quiser ver os curtas dela, eu posso mondar os links por email, pq ela é alguém que merece ser vista. Ela fez mestrado em filme de terror / horror, entende muito do gênero – foi roterista de Quando eu era Vivo, e fez residência em Sundance, aula com Tarantino… enfim. A Gabi vai arrebentar, faz cinema de terror / horror de primeira. Quem quiser ver os curtas me escreve paula.nferraz@gmail.com 🙂

    Curtir

  11. Olá amigos!

    Foi um dos melhores episódios, adorei o tema, deu vontade de assistir os 2 filmes, mesmo o que caiu da varanda parecia interessante. O mais curioso foi perceber que filmes ditos “de terror” nem sempre são os mais assustadores. Vou falar de 2 que me marcaram muito na infância e causaram alguns pesadelos e medos:

    1. A Fortaleza (Fortress, 1984) ,ozploitaition de um certo Arch Nicholson, sobre um grupo de crianças sequestradas com professora e tudo na escola, por um bando de homens usando máscaras assustadoras de bichos. Era violento/gore MESMO, mostrava muita crueldade, inclusive das crianças acuadas. Traumatizou uma galera nos anos 80 após passar na Tela Quente e anos depois migrar pro Cinema em Casa do SBT. Grande fonte de incômodo em noites mal dormidas, por ser algo que realmente pode acontecer, especialmente em vésperas de excursão do colégio.

    2. Desenho animado do Pinoquio versão anime, passava na Manchete eu acho, era uma tragédia envolvendo baixa auto-estima do boneco, depressão, vergonha do Gepeto, humilhações públicas (ou seja, uma adolescencia normal), ocasionalmente envolvendo bruxas e vampiros um pouco mais horríveis do que precisariam ser numa produção infantil.

    Cito tb O Expresso da meia-noite do Alan Parker, sempre um medo importante em viagens ao exterior.

    Muitos abraços e parabéns mais uma vez pelo podcast!

    Curtir

    1. Guga, esse ‘A Fortaleza’ estava na minha lista, mas não tive tempo de falar sobre ele durante o podcast. Quando vi, foi bem perturbador também.

      Já ‘Pinóquio’… Eu nunca imaginaria rs.

      Abraço!

      Curtir

  12. Adorei o episódio! Lembrar de filmes de terror é sempre uma atividade boa pra fazer entre amig@s, rs. Me senti bem contemplado pelos medos da Varanda. Tenho medo de qualquer coisa que envolve espíritos por toda a duração do filme e fico extremamente perturbado com filmes de violência gratuita e mais “real”.
    Alguns dos meus preferidos que rodam pelo gênero são dois que foram mencionados no podcast e outro que é um clássico do cinema: “Violência Gratuita” do Haneke me perturbou extremamente e perturba até hoje quando penso nele; “A Hora do Pesadelo” me marcou, vi quando criança, desde então tive medo de rever, não por causa do Freddy Krueger em si, mas por medo de perder essa aura de filme marcante; e “Nosferatu”, que também vi quando criança, revi algumas vezes e até hoje é um dos meus preferidos de qualquer gênero.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s