Episódio 53: E o Darth Vader Também

No episódio da semana, Chico Fireman, Michel Simões, Tiago Faria e Cris Lumi comentam um dos maiores blockbusters do ano: Rogue One – Uma História Star Wars (16:39). O que ele tem em comum com o drama chileno Neruda (41:50), de Pablo Larraín? A presença dos dois astros de um dos maiores hits latinos do início do século, E Sua Mãe Também, de 2001: Diego Luna é um dos heróis nas batalhas espaciais de Rogue One e Gael García Bernal interpreta um policial lacônico em Neruda. Mas… há outras semelhanças entre longas que parecem habitar mundos tão diferentes?

Mais: Boletim do Oscar, Cantinho do Ouvinte e papo rápido sobre Sieranevada (55:25), um dos grandes filmes do ano (lançado, infelizmente, em pouquíssimas sessões). Bom podcast!

METAVARANDA (média das notas dos filmes comentados no episódio):

Rogue One – Uma História Star Wars | Rogue One | Gareth Edwards | 50
Neruda | Pablo Larraín | 53

Gravado no domingo, 18 de dezembro, na varanda do Michel.

Anúncios

6 comentários sobre “Episódio 53: E o Darth Vader Também

  1. Olá amiguinhos.
    Sobre o Rogue One eu achei interessante a idéia de transformar o “mcguffin” do episódio 4 em longa, mas acho que parou por aí. Os personagens são tão pouco carismáticos que quando eles vão para o saco no final não me senti triste, muito menos impactado. Achei que o CGI do Peter Cushing não só me tirou do filme como deveria render outro spinoff produzido pela Blumhouse, com ele assombrando os produtores e familiares do ator.
    Já sobre a lista dos melhores do ano, assisti Sully esta semana e faço questão de incluir este novo e excelente filme do Clint Eastwood. Um grande prazer ver um diretor de 80 anos filmar de modo tão sóbrio, elegante, claro e conciso. Uma verdadeira aula.

    Um excelente 2017 para todos nós!

    Curtir

    1. Realmente, também não consigo sentir saudade dos personagens do filme.

      E sobre ‘Sully’… Olha, dei um ‘troféu’ pra ele no Varanda Awards que já está quase me deixando arrependido, hahaha. Aguarde.

      Abraço e feliz 2017!

      Curtir

  2. Bom, sobre o Rogue One: acho os personagens pouco carismáticos, a montagem muito esquisita, o ritmo meio irregular e vejo um filme repleto de momentos de blockbuster genérico. Sou fanboy de Star Wars, e sinto que me diverti mais por se tratar de um filme da franquia do que pelo que ele representa individualmente. E por mais que eu ache a segunda cena do Darth Vader uma das melhores do ano, também acho meio chato que os melhores momentos do filme sejam esses mais focados na nostalgia e fanservice (digo, os que incluem personagens já conhecidos e referências aos outros filmes).

    E sobre Neruda: o Tiago citou Bressane ali, e eu lembrei muito de Jodorowsky. Acho o filme muito afetado – passei boa parte da projeção me perguntando se o Larraín sabia fazer alguma coisa além de enfeitar umas imagens e encaixar uma trilha bonitinha no fundo – e ele me parece não ter muito foco também. Acho que tem alguns bons momentos, e o Gael tá bem, mas não gostei tanto. Do Larraín, vi outros três filmes: O Clube, que acho um porre e concordo com tudo o que vocês disseram; Tony Manero, que acho ok; e NO, que gostei bastante à época, mas preciso rever.

    Curtir

  3. Olá migos varandeiros,
    Não vi Rogue One, mas vim falar de Neruda e Sieranevada!
    Do Larrain só vi O Clube, que eu concordo com vocês, é muito agressivo. Mas gostei de Neruda, embora ache que faltou um background sobre essa relação que vocês citaram entre o filme e a obra dele, que eu desconheço. Eu gosto dos dois atores, gosto muito da trilha sonora e da fotografia. Ansioso pra Jackie!

    Sieranevada… que lindo! Ouvi de novo os podcasts anteriores em que vocês falaram do filme, e apesar de concordar com a Cris quanto a duração do filme, acho que seria complicado também cortá-lo… Tudo parece se encaixar tão perfeitamente bem! Acho que o cansaço das 2h57 pode vir mais da claustrofobia do cenário, embora eu ache aquele apartamento e a forma como ele é filmado a coisa mais charmosa do filme! Aqui no Rio ele só ta passando em um cinema, as 16 e as 20h30. Quanto aos filmes portugueses que o Chico citou, fiquei esperando ansiosamente por As mil e uma noites, mas não rolou…

    Abs e até semana q vem, ansioso pro Varanda Awards!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s