Episódio 31: Os Homens que não Amavam as Mulheres

Bem antes da estreia, quando o primeiro trailer foi divulgado, a nova versão para o sucesso dos anos 80 Os Caça-Fantasmas vem sofrendo ataques de ódio na internet por um motivo que, para quem acompanha as discussões sobre feminismo na web, pode parecer até inacreditável: o elenco de protagonistas mulheres do longa-metragem vem irritando quem acredita que o filme deveria ter sido interpretado por astros homens. Como explicar essa reação de alguns espectadores? Por que ela ocorre em pleno ano de 2016? E por que parte da crítica masculina, ao analisar o lançamento, reproduz esse machismo de uma maneira sutil?

Além de discutir o blockbuster da semana, com a participação de Cris Lumi (num #FalaCris mais que especial), o trio Chico Fireman, Michel Simões e Tiago Faria elege os melhores do semestre e comenta os favoritos dos nossos ouvintes/leitores. Ainda opina sobre um drama em cartaz em apenas uma sala da cidade: o italiano Os Campos Voltarão. Para fechar, nossa homenagem a Hector Babenco e comentários rápidos sobre as séries Stranger Things e Mr. Robot, além do documentário O.J. – Made in America. Bom podcast!

METAVARANDA (média das notas para os lançamentos comentados na edição):

Caça-Fantasmas | Ghostbusters | Paul Feig | 53
Os Campos Voltarão | Torneranno i Prati | Ermanno Olmi | 77

FILMES E SÉRIES CITADOS NA EDIÇÃO

Caça-Fantasmas

Missão Madrinha de Casamento | Paul Feig
As Bem-Armadas | Paul Feig
A Espiã que Sabia de Menos | Paul Feig
Os Caça-Fantasmas | Ivan Reitman
Curtindo a Vida Adoidado | John Hughes
Star Wars: O Despertar da Força | J.J. Abrams
Mad Max: Estrada da Fúria | George Miller

Melhores do semestre (nos links, os episódios do podcast em que foram comentados)

Certo Agora, Errado Antes | Hong Sang-soo
A Assassina | Hou Hsiao-Hsien
Visita ou Memórias e Confissões | Manoel de Oliveira
Do que Vem Antes | Lav Diaz
A Grande Aposta | Adam McKay
A Bruxa | Robert Eggers
O Cavalo de Turim | Bela Tarr
Carol | Todd Haynes
História da Minha Morte | Albert Serra
O Filho de Saul | Laszlo Nemes
Cemitério do Esplendor | Apichatpong Weerasethakul
O Tesouro | Corneliu Porumboiu
Tangerine | Sean Baker
Boi Neon | Gabriel Mascaro
Campo Grande | Sandra Kogut
Rua Cloverfield, 10 | Dan Trachtenberg
A Academia das Musas | Jose Luis Guerin

E os piores do semestre

Porta dos Fundos – Contrato Vitalício | Ian SBF
Mais Forte que o Mundo – A História de José Aldo | Afonso Poyart

Os Campos Voltarão

A Árvore dos Tamancos | Ermanno Olmi

Recomendações

Pixote – A Lei do Mais Fraco | Hector Babenco
O Beijo da Mulher Aranha | Hector Babenco
Lucio Flavio, o Passageiro da Agonia | Hector Babenco
Brincando nos Campos do Senhor | Hector Babenco
Stranger Things (série da Netflix) | Matt e Ross Duffer
Mr. Robot (série da USA) | Sam Esmail
O.J. – Made in America | Ezra Edelman

Gravado na segunda-feira, 18 de julho, na varanda do Michel.

Anúncios

15 comentários sobre “Episódio 31: Os Homens que não Amavam as Mulheres

  1. Estava falando com o Chico por mensagem, enquanto escutava vcs, isso foi bem estranho! rs, mas queria dizer que sou super a favor de dois programas por semana. Vcs podem gravar no mesmo dia, e postar em dias diferentes, ninguém vai ficar sabendo rs. e se precisar de convidado, ajudo vcs a recrutar! Beijossss

    Curtir

  2. Quero começar dizendo que meus comentários não são um fake do Michel! Rsrs
    Adorei a lista dos melhores do semestre para vocês e tenho alguns comentários a fazer: primeiro, não consegui gostar de “Certo Agora, Errado Antes”, desculpe Tiago; mas também vou desagradar o Chico: tive dificuldade de ficar acordada em A Academia das Musas.
    Eu estou doida para ver O Cavalo de Turim, mas moro no Rio, não em São Paulo, e aqui passou por uma semana apenas, não consegui ver. Os campos voltarão tampouco está em cartaz aqui… fiquei com tanta vontade de ver! E Visitas ou memórias e confissões nem vou falar, né… se passar, será em algum cinema impossível, às 14h… uma pena.
    É isso, tento ver a maior parte do que vocês elogiam, mas nem sempre dá, né! Só tenho dúvida se um dia tentarei ver Lav Diaz (vocês ainda não me convenceram RS)

    Curtir

  3. Débora, fiquei até triste agora. Você não está conseguindo ver os filmes, nem está gostando das nossas recomendações… Pena. Os gostos nem sempre batem e conheço pessoas que também detestaram esses filmes (especialmente o ‘Academia das Musas’). ‘O Cavalo de Turim’ tem por aí na internet numa cópia boa, talvez você consiga encontrá-lo. Já o Lav Diaz recomendo começar por ‘Norte’. Vale tentar uma cópia via internet (acho que estava passando na Netflix americana) e, se não conseguir ver tudo de uma vez, assistir como se fosse uma série de TV.

    Espero que você não nos abandone depois de tantas dicas que não bateram com o seu gosto.

    Abraço!
    Tiago.

    Curtir

  4. Achei interessante a discussão sobre o machismo e a polêmica em torno de CAÇA-FANTASMAS, muito justo, mas acredito que dizer que a Kate McKinnon não está sexy no filme é meio estranho até. Ela está sexy, inteligente, engraçada. Claro que sem usar roupas sensuais tradicionais ou coisas do tipo, como bem disse o Michel, mas ainda assim ela tem sim um sex appeal de destaque. Será que podemos dizer isso? Não queria entrar no vespeiro, mas senti vontade de falar. 🙂

    Curtir

    1. Então, Ailton. Eu acho que há uma briga justamente pela desobjetificação da mulher. E essa associação constante com o corpo, com a sexualidade, está muito vinculada a isso. Como mulher, eu não gosto que usem.

      E 3, Michel!?!?!?!?!

      Adorei o programa, gente! Obrigada por reverberar esse problema da falta de representatividade das mulheres na crítica. É uma questão séria e já passou da hora de ser resolvida.

      Curtir

  5. Ailton, acredito que seria interessante saber o que uma mulher teria a dizer sobre o seu comentário. Do ponto de vista de uma mulher, seria mesmo essencial notar que tal atriz está ‘sexy’ em cena? Não sei. Quando se analisa o desempenho de homens atuando, por exemplo, raramente vejo nos críticos a necessidade de apontar que o sujeito está ‘sexy’, ou ‘um gato’, ou ‘uma delícia’. Particularmente, já estou tão acostumado a ler críticos homens reparando no quanto tal atriz é ‘sexy’, ou ‘uma delícia’, ou ‘belíssima’, elegendo a ‘musa do ano’, a ‘gostosa da temporada’, a ‘contracampete’ (ou o que for) que não me importo tanto assim… A crítica de cinema é um Clube do Bolinha e sempre foi. Mas eu gostaria de saber o que as mulheres pensam sobre isso. Elas acham ok? Vou jogar o comentário na próxima edição para, quem sabe?, a Cris responder.

    Abraço! Tiago.

    Curtir

  6. Não Tiago, não os abandonarei! De jeito nenhum. Minha melhor informação sobre cinema vem daqui – não sou estudiosa do assunto, só gosto de cinema mesmo, então eu ouço vocês para ter uma noção. O “não dar” para ver o filme é muito mais por falta de acesso do que por diferença de gostos.
    Os 2 filmes dos quais não gostei eu vi antes das recomendações de vocês, então vocês não tem “culpa” alguma nisso! O “Certo Agora, Errado Antes” eu vi no Festival do Rio do ano passado, “Academia das Musas” eu vi na semana anterior ao comentário de vocês.
    Vou procurar o “Cavalo de Turim” na net e vou tentar Lav Diaz, vendo em partes, então.

    Curtir

  7. Olha, Ailton, eu acho que não tem problema nenhum você achar uma atriz bonita ou delícia… Acabei de ver o trailer de Liga da Justiça e achei o Ben Affleck uma delícia. Porém, o problema é você dizer isso em uma crítica cinematográfica que pretende fazer uma análise mais, digamos assim, objetiva e técnica da obra. Claro que essa análise não excluí a subjetividade (às vezes o filme é ruim tecnicamente, mas te emociona e te toca de alguma forma e você quer passar isso para os teus leitores/ouvintes). Então, eu te pergunto: o que acrescenta – em uma crítica cinematográfica – tu dizer que determinada atriz é uma delícia?

    E tem mais um agravante, a referida crítica (que diz que Kate McKinnon está uma delícia) comenta que as outras atrizes estão ruins por, pasmem, fazerem caretas! COMO ASSIM ELAS NÃO ESTÃO UMEDECENDO OS LÁBIOS COM A LÍNGUA PARA ME SEDUZIR?????? Exagerando é mais ou menos isso!

    Esse é o machismo que o Tiago comenta no podcast, um machismo que está ali, nas entrelinhas, como quem não quer nada. Mas, ainda que sutil, ele tá dizendo que mulheres em cena são boas enquanto delícia; enquanto caretas não ficam bem em uma mulher.

    Para terminar só queria dizer que a cada semana o podcast fica melhor e ter esse espaço “online” para debatermos e trocarmos é muito saudável e bacana.

    Abraços!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s